terça-feira, 17 de março de 2009

M. C. Escher (1898 - 1970)

Maurits Cornelis Escher ou M. C. Escher (Leeuwarden, 17 de Junho de 1898 - Hilversum, 27 de Março de 1972) foi um artista gráfico holandês conhecido pelas suas xilogravuras, litografias e meios-tons (mezzotints). Seu trabalho tende a representar construções impossíveis, preenchimento regular do plano, explorações do infinito e as metamorfoses - padrões geométricos entrecruzados que se transformam gradualmente para formas completamente diferentes, tendo dedicado toda a sua vida às artes gráficas.
Não foi um aluno brilhante, nem sequer manifestava grande interesse pelos estudo, mas os seus pais conseguiram convencê-lo a ingressar na Escola de Belas Artes de Haarlem para estudar arquitectura. Foi lá que conheceu o seu mestre, um professor de Artes Gráficas, um judeu de origem portuguesa, chamado Jesserum de Mesquita com quemaprendeu muito, conheceu as técnicas de desenho e deixou-se fascinar pela arte da gravura.
Escher, sem conhecimento matemático prévio, mas através do estudo sistemático e da experimentação, descobre todos os diferentes grupos de combinações isométricas que deixam um determinado ornamento invariante.
A reflexão é brilhantemente utilizada na xilografia. Vajamos alguns de seus trabalhos:

Céu e água I, Junho de 1938
Xilogravura, 435 x 439 mm


Mão com reflexo na esfera, Janeiro de 1935
Litografia, 318 x 213 mm


Relatividade, Julho de 1953
Litografia, 277 x 292 mm


Cavaleiro, Junho de 1946
Desenho, 213 x 21 mm


Pássaros/Peixes, Junho de 1938
Desenho, 228 x 243 mm


Vínculo de união, Abril de 1956
Lithografia, 253 x 339 mm


Três Mundos, Dezembro 1955
Litografia, 362 x 247 mm


Alguns links interessantes a respeito da vida e do trabalho de M.C. Escher:

Cybermuse.gallery
Escher and the Droste effect
Escherization
M. C. Escher
Escher In Het Paleis
Etropolis
The Collection-National Gallery of Art
The Mathematical Arte of the M.C. Escher
M.C. Escher Brief Biography
Escher inthe Classroon
M.C. Escher
World of Escher

Um comentário:

Victor S. Gomez disse...

Desde os tempos do curso de desenho técnico no SENAC, que eu senti que você tem talento; não como uma coisa simples, de quem faz por fazer, mas como algo maior, que só o futuro pode mostrar melhor. E eu não me enganei. Nesses desenhos de Maurits Cornelis Escher, vejo um pouco de sua senibilidade criadora, na pintura, e em tudo que você faz, sem essa de irmão, você é demais! Abraços